quentin-tarantino-oscar
Tarantino, o vencedor “real” da noite, e Amour, claro, nem seria preciso dizê-lo. Aguento aquela noite pela magia do cinema. O mais…puf!!! Estrelas cadentes. Interessam-me é as outras. Michele, “ma belle”, foi tão…é melhor calar-me.

Fantástico o artigo de Luís Miguel Oliveira ontem no Público, Faço partilha no meu FB. Cada linha merece um sim, uma alegria, um abraço. Obrigada.

Tarantino disse mais ou menos assim: Criar? Escrever numa direção: para as personagens. Escrever é escrever para elas e escolher quem vai protagonizar (onde é que eu já ouvi isto….). Isto é criar. Este é o ano dos writters. A música de fundo era a do filme “E tudo o vento levou”, o que acabou por acontecer com o óscar que este Django arrecadou.

http://www.publico.pt/multimedia/video/quentin-tarantino-vence-melhor-argumento-original-com-django-2013225105852

Advertisements