O Concerto da Primavera da Universidade de Lisboa, na Igreja da Graça, fez ius à Senhora da Anunciação. O coro é mesmo bom. A Igreja: de uma beleza arrepiante e de cores escaldantes. Como a Natália Correia, “onde” acabamos mesmo em frente, a matar a sede.

Cantou autores como Henry Purcell, Samuel Wesley e William Babell, entre outros, como este Ave Verum de Edward Elgar (1857-1934):

“Ave verum corpus natum”, é um poema religioso do século XIV. Foi moldado por Mozart, Schubert, Gounod e muitos outros. Canta os mistérios da Encarnação do Verbo, Paixão e Eucaristia. Diz assim:
Ave verum corpus natum de Maria Virgine
Salve, ó verdadeiro corpo nascido da Virgem Maria
Vere passum, immolatum in cruce pro homine
Que verdadeiramente padeceu e foi imolado na cruz pelo homem
Cuius latus perforatum fluxit aqua et sanguine
De seu lado transpassado fluiu água e sangue
Esto nobis praegustatum mortis in examine
Sê para nós remédio na hora tremenda da morte
O Iesu dulcis, o Iesu pie, o Iesu fili Mariae.
Ó doce Jesus, ó bom Jesus, ó Jesus filho de Maria.

Advertisements