Fui à via sacra que se fez hoje pelas Igrejas da Baixa Chiado. Os textos eram os da Bíblia e do Cardeal Angelo Scola. Este começa assim: “O Espírito, que fez o Deus-Homem, que O tornou capaz de morrer por nós, e que o ressuscitou dos mortos, opere também em nós essas maravilhas, faça desaparecer a curiosidade do nosso estar aqui, do nosso querer revisitar os factos, da nossa tentativa repetida de imaginar aquilo que aconteceu sem nunca penetrarmos, sem nunca nos deixarmos desafiar pelo significado real da questão.”

Cantamos uma das orações que mais gosto:

Jesu Dulcis Memoria (latim)

Jesu dulcis memoria Uma doce memória
Dans vera cordis gaudia: Enche o meu peito;
Sed super mel et omnia Mas mel e tudo
Ejus dulcis præsentia. Sua doce presença.
Nil canitur suavius, Nada parecia mais doce
Nil auditur jucundius Nada soa deliciosa
Nil cogitatur dulcius Nada é mais doce do que se pensava
Quam Jesus Dei filius. De Jesus, o filho de Deus.
Jesu spes pænitentibus, Jesus Esperança de penitentes
Quam pius es petentibus! Como tipo que você está procurando!
Quam bonus te quærentibus! Como é bom para aqueles que procuram!
Sed quid invenientibus? Mas, oh!
Nec lingua valet dicere, Língua não pode dizer,
Nec littera exprimere: Não expressar:
Expertus potest credere, Experiente pode acreditar
Quid sit Jesum diligere. O que é amar Jesus.
Sis Jesu nostrum gaudium Jesus, nossa alegria
Qui es futurus præmium Quem será a recompensa
Sit nostra in te gloria Sê nossa glória
Per cuncta semper sæcula. Por toda a eternidade.
Amen. Amen.

Advertisements