Poesia

SINOS

Sorrisos abrem-se em silêncio

                                                                       diferente as manhãs cheiram

pessoas são mais bonitas

rios escorregam melhor

sinos são mais aldeia

nossas mãos já sabem fazer

pássaros cantam mais lindo 

noite brilha com mais força

nas árvores há mais flores

nos feios nascem delícias

mudos cantam todos os hinos

cegos voam como águias

escuro se vê com mais ternura

nas ruas morrem amarguras

montes têm mais andorinhas

os velhos parecem as criancinhas

nos olhares tristes jorra mais cor

já nem se ouvem gritos, pasmos dor

já nascem sóis noite escura

já nuvens carregadas chovem brancura

almas mais escuras rasgam-se em paz

até as rosas, ó meu amor…

Advertisements