http://www.snpcultura.org/eduardo_lourenco_vaticano_ii_fez_igreja_reatar_se_mundo.html

Eduardo Lourenço, no dia em que recebeu o Prémio Pessoa estava muito contente.

como se pode ver na foto tirada pelo Rui Ochoa.

fp26

“É preciso ver que este concílio [Vaticano II] foi pensado e imaginado por alguém que merecia ser “santo subito”, chamado João XXIII, que teve uma palavra que é de uma novidade absoluta, não em si mesma, porque está no Evangelho, mas na sua tradução histórica propriamente dita, ao dizer esta frase extraordinária: «a Igreja não tem inimigos».

Ora acontece que na realidade, na História, a Igreja, enquanto instituição estava confrontada efetivamente com inimigos, precisos, declarados. E foi isso que motivou e explica uma parte da história extraordinária de João Paulo II, que sabia que a Igreja tinha inimigos, enquanto palavra livre de si mesma e ameaçada de extinção por uma opressão de um outro género, por assim dizer, de forças do mal, naquela altura incarnadas de uma maneira precisa. Isto explica muito a história deste Papa [João Paulo II], cuja primeira obsessão enquanto polaco era libertar a Igreja a que ele pertencia dessa opressão que a ameaçava. Isto não explica tudo, mas explica imenso.

Mas verdadeiramente a palavra mais evangélica e mais profunda é aquela do João XXIII: «a Igreja não tem inimigos». Mas não precisará ela de inimigos? Essa é uma questão a considerar. Mas eu não sou teólogo para responder a essa questão”. (Eduardo Lourenço Maio 2011 in Reflexão Cristã 2012)

Advertisements