Ai a minha pena…

birdcatcher (1)

The Bird Catcher, Erin Kelso

*Papageno

Olho-me ao espelho e vejo uma fraca figura… E odeio!!! Quer dizer, não me detesto a mim em particular, mas detesto o fraco no geral! Nisso sou absolutamente intolerante, não há nada a fazer. Quer dizer, compreendo as fraquezas, as fragilidades, mesmo porque tenho muitas e sei que não sendo sobretudo elas, mas também, que fazem de nós o que somos, dando-nos um rosto mais humano… Mas tudo que seja fraco por natureza desperta o pior que há em mim.

Quando me cheira a fraqueza não consigo sentir pena, e olhem que penas tenho muitas, ficam é eriçadas, “Ah coitado do Papageno, pobre criatura!”. Ah pois é, “coitadinho, pobrezinho, fraquinho, tão inho, inho, inho”. Dos fracos não reza a história, fracas figuras, gente fraca do sentido, fraca desculpa, a carne é fraca, é fraquinho, é fracote…

De tanto repetir começo a perceber que o meu problema não é com o “fraco”, mas é com o verbo, basta mudar do “ser” para o “estar” e a coisa muda de figura…Enternece-me alguém que não tem medo de mostrar a sua fragilidade, de se sentir fraco, de ter um momento de fraqueza…

Então porque me repugna o meu reflexo? Olho, e vejo uma vítima, não de maus-tratos, físicos ou verbais, mas das circunstâncias… De nenhumas em particular, mas de todas no geral. É uma opção de vida, ou antes de sobrevivência, a responsabilidade é sempre minha, recuso-me a ser vítima de alguém ou admitir a minha fragilidade enquanto ser humano, e essa é a minha grande fraqueza, essa minha sobranceria perante o fraco… Não gosto do que vejo, não gosto de fracas figuras, não gosto de vítimas… Porém, mais ainda detesto os heróis… Nada tenho contra  os de Banda Desenhada, mas os da vida real, aqueles cujo heroísmo apenas serve para expor ainda mais as minhas fraquezas, transformando-me em inho…

Assim, como quem lambe as feridas, vou passando a mão pelas minhas penas, vendo cair algumas,  deixando espaço para que nasçam outras, enternecendo-me com o meu próprio “estar”, sem negar o “ser” nada heroico…

 *Papageno escreve no 100mim à 2ªfeira

Advertisements