xadrez

                                         A Partida de Xadrez Maria Helena Vieira da Silva

Vai uma partida?

Papageno*

Quem parte e re-parte e não fica com a melhor parte, ou é burro ou não sabe da arte… Mas quem parte e volta a partir para onde? E quem é a melhor parte com quem este que parte não quer ficar? E já agora, a parte é melhor para quem e segundo que critérios e avaliadores? E será que é assim tão linear tratar-se de um burro ou de alguém com falta de veia artística? Ou será que quando falamos em partir referimo-nos a algo e não a para algum lado? Então e se estiver partido será algo que ainda tem conserto? E tendo, valerá a pena, ou mais vale algo novo? E mesmo que valha mais a pena algo novo, não há algo que nos continua a ligar ao que está partido? E há partes boas em algo partido? E se quem parte e reparte fica com a parte boa, quem ficará com o resto? E já agora, porque é que alguém terá ou quererá ficar com algo partido e menos bom? Ah, é verdade, por ser burro ou não saber da arte… Mas isso só se aplica a quem parte e reparte, certo? E os outros que ficam a ver o partir e repartir não se podem antecipar? E parte-se sempre do princípio? Ou será que há quem consiga partir do final? E será que o princípio e o fim estão claramente definidos ou podem ser variáveis? Algo partido terá o mesmo princípio e o fim que o todo? Ou será que estamos a falar de princípios, no sentido de valores, e nesse caso ou se tem ou não se tem, não se podendo ter apenas uma parte? E alguém que é burro ou não sabe da arte tem princípios, ou apenas meios e fins? Raios me partam que esta partida ainda vai a meio e já estou farto de partir e re-partir sem conseguir ficar com a melhor parte, não sei se sou burro ou se me falta a arte, ou se é apenas porque em vez de partir do princípio deveria tentar aguentar-me inteiro para chegar ao fim?

*Papageno escreve à 2ªfeira

Advertisements